quinta-feira, março 26, 2009

Totalmente Perigosa e Mortífera, TPM

Primeiro a garota fica toda meiguinha. Cheia de dengo, quer abraçar todo mundo, fica olhando com aquela cara de gatinho do Shrek, implorando por um elogio. Ela conversa com o namorado com aquela voz de 'mô, dá uma bitoquinha na xua nhanhanhuxinha?". Ela se entope de chocolate e gruda nas pessoas como se fossem um ursinho-fofinho-cutucuti que ela viu na vitrine do shopping. Aí, ela fica sensível. Acorda e vê a espinha que nasceu no queixo depois de tanto, tanto, tanto chocolate (que, supostamente, não dá espinhas). Então, ela faz aquilo que lhe parece mais óbvio: chora.

Começa chorando pela espinha, "por queeee ela foi a escolhiiida pra carregar aquele moooonstro?". Aí ela vê que a tigela do cachorro está vazia e - coitadinho! - ele está passando fome! Então ela chora. No fim, ela chora por todas as dores do mundo, pelo genocídio em Ruanda, pela fome na África, pela menina de 9 anos que abortou, chora porque vizinha da tia quebrou a unha, porque o crédito do celular acabou, porque o namorado só ligou pra dar 'bom dia' e não 'boa tarde', porque a nuvem entrou na frente do sol e porque ela ouviu James Blunt. Ela chora tanto, por tantas razões e nenhuma realmente especial, que nem sabe mais por qual razão chorava primeiro e tudo parece tão sem sentido, que ela chora novamente. "Ninguém me ama, ninguém me quer, ninguém me entende".

Depois de tantas lágrimas, do rímel borrado, da cara inchada ela endurece. Briga com todos. Nada está bom, nada é suficiente e tudo, absolutamente tudo mesmo, está errado. Nesses dias, o namorado é imprestável, a mãe é uma pegadora-de-pé-profissional, o chefe é inútil, a professora é uma anta e o semáforo - que demora um segundo a mais para ficar verde - descarrilha um turbilhão de emoções, que envolve amaldiçoar até a quinta geração dos engenheiros de trânsito e uma seqüência de palavrões irreproduzíveis por aqui. Está decidido: uma teoria da conspiração se armou contra ela. Bem vindos à TPM.

Sobre TPM, para o Site ;)

Eu não estou de TPM hoje. Quem sabe o mês que vem...

13 palpites bem-vindos!:

Heloisa Moraes disse...

Email inspirou pouco hein...

saravá!

Elisa. ♥ disse...

cara, eu amo seus textos; parabééns mesmo. boa sorte no TDB. te linkeii. da uma passada no meu blog
beijos

Marcos Satoru Kawanami disse...

Descrição primorosa.

Hoje se fala tanto em TPM; até chegar a minha adolescência, o termo era ignorado do povão.

Os médicos deviam já ter inventado um remédio para eliminar mais esse sofrimento feminino; afinal, é pernicioso e mesmo um problema de saúde pública.

Mia disse...

TPM: Treinada Para Matar!
Pena que ninguém entende isso, né?
Te amoo!

Bruna disse...

É, é, a parte de chorar é 100% compatível com a minha situação. É um choro descontrolado, até o espírito fica sem entender pq tudo aquilo tá acontecendo.

E acho que eu choro ouvindo James Blunt em qualquer dia. James Blunt potencializa o suicídio coletivo. Odeio ele.

Beijos!

Gabii disse...

Oii, nossa adorei o seu texto!!
É isso aí, não é fácil suportar a TPM,não só pra quem à carrega, mas também pra quem está por perto!!
Vou começãr a ler o seu blog todos os dias :D
Beeijos :*

x Bellaah . disse...

Oii!Sou nova no blog e digo agora que você é grande inspiração!Ri com seu texto,alem de divertido,é interessante.Como todos os outros,pelo que percebi!Vou virar seguidora.Oassa la no meu blog!
Beijoos!x*

isabella disse...

cara, eu to de tpm.
to chorando sem parar, meu rosto tá todo inchado, to mto triste e sei lá, tava passando pelos blogs e li o seu texto. Obg, por descrever essa situação tão insuportável que nos submete.
Gosto demais dos seus textos, dikona <3

Tatah disse...

Adorei o post! Eu sou assim mesmo na TPM, hehehehe! :D

Milena Buarque disse...

Acho que me identifiquei hein?! ;)Rsrsrs.
Excelente o texto!
Adorei aqui.

;*

Elsa Villon disse...

Ahahaha... muito boa.

Incrível como tudo parece mais terrível na TPM.

Você acorda cedo todos os dias, faz o mesmo percurso. Até o mesmo trabalho.
Mas na TPM aquilo é infernal, uma rotina macabra e sem sentido que a faz ser infeliz e irritada.

A parte de chorar é bem verdade.
E eu diria mais: sob efeito do álcool, isso é potencializado.

Acho que você escreve sobre essas coisas com uma naturalidade tão grande. Parece sempre algo de revista. Aquela coisa tragicamente engraçada que a gente lê para tirar o azedume do dia.

E isso é um elogio.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Sugestão para bolsa de iniciação científica CNPq: "Supressão da Menstruação".

Boule de Savon disse...

AHhaah, quando estou de tpm fico chorosa, carente, sem saco pra nadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa e com vontade de matar 10! AHAHHA bjs