domingo, setembro 30, 2007

Cinco coisas rápidas

Começo esse texto sem ter um tema em especial, mas com tanta coisa na cabeça!
São tantas coisas a dizer e tantas que eu não sei se deveria.
Mas quer saber? Há dias em que eu me canso de deveres. Hoje vai ser assim, vou escrever o que der vontade e é isso aí.

Coisa Um: Sabe quando o seu nível de frustração extrapola todos os possíveis? Acho que eu cheguei muito perto na quinta-feira passada. Foi um dia de tensões absurdas. Tá, sei que ninguém quer saber disso e acompanhar minha vida, por que eu realmente não sou nenhuma Paris Hilton e não desperto todo esse interesse, mas de verdade, eu tô chocada até agora. Pra quem sabe do que eu estou falando: Isso não vai ficar assim. Pra quem não sabe: Eu queria muito contar essa história aqui na íntegra, só que como se trata de encrenca "professor x grupo de alunos" acho melhor eu esperar um pouco.

Coisa Dois: Eu estou precisando mudar minha vida urgentemente-ente-ente-ente.
Isso incluí meu emprego, minha postura perante minha própria vida e perante as outras pessoas. Eu quero mesmo fazer alguma diferença e não consigo visualizar isso acontecendo da forma em que as coisas estão. Se alguém souber de um emprego, por favor, let me know!

Coisa Três: Acho que descobri o que quero pra minha vida. Digo, acho que sei o que "quero ser quando crescer"! Escrever livros parece impossível demais pra vocês?

Coisa Quatro: Zééééente, acabei de descobrir quem é o homem com quem eu me casarei. His name is Jerry Ferris. Estou passada! Alguém faz o favor de me amarrotar.

Coisa Cinco: O próximo post será menos pessoal, eu prometo. A não ser que eu tenha descoberto como me casar com o homem. Sério, ele é O HOMEM. Tirem os olhos, garotas. Eu vi primeiro.

- Dia

terça-feira, setembro 25, 2007

Bye Bye!

Sempre achei que o banheiro seria o melhor lugar para a minha fuga. Se ficasse apertada estava perto do trono, o tapete seria minha cama e a cozinha era logo ali caso minhas reservas alimentícias cessassem. Foi então que percebi que fugir para o banheiro era continuar dentro de casa. Eu era um gênio. Comecei a ousar.
Na primeira vez eu era bem pequena. Tinha uns seis anos. Peguei minha malinha da natação da Barbie nada chamativa, enchi de coisinhas que achava que seriam indispensáveis tipo panelinha de plástico, batom de mentira, um pacote de bolacha e papel higiênico e anunciei: Vou fugir mãe, tchau! To indo morar com o pai.
Aposto que ela respondeu “Tchau”, “Passe bem” ou “Não precisa voltar”.
Cheguei até a porta da sala que estava trancada e audaciosamente destranquei com a chave que dormia na fechadura. Fui até a garagem e o portão me barrou. Eu tinha seis anos, não tinha a chave. Chamei minha mãe e chorei por meia hora até começar “As Aventuras de Babar”.


* Pauta Capricho: Fugir de Casa *

terça-feira, setembro 11, 2007

Os quatro Pês

No melhor estilo “macha” eu fiquei quase 4 anos sem me apaixonar. Aliás, continuo com essa ladainha do coração dos 4 P’s. Preto, podre, peludo e de pedra. Esse, supostamente, é meu coração. Prazer!
Sempre no pensamento do pegar sem se apegar, atravessei o tempo sem me deixar atingir por paixões, amores enlouquecidos e derivados. Claro, tive flertes. Claro, achei que estava apaixonada. Mas sempre, SEMPRE, me enganei.
Durante séculos (3 anos e pouco) homem virou meu objeto. Exatamente como certos homens tratam as mulheres. Eu fui o homem de algumas relações, comprava o ticket do cinema, dava as ordens e não me apegava mesmo se ele estivesse prometendo mundos e fundos.
Ok. Estou cheia disso. Quero ser mulherzinha pra variar. Quero cair de amores, quero flores, quero cartinhas, quero pensar em alguém antes de dormir, quero romance.
Quero morrer de tanto chorar por que minha mãe não deixou eu viajar com ele no fim de semana, quero cinema sem ver filme, quero passeios no parque sem desgrudar, quero beijos apaixonados. Céus! Como beijar estando apaixonada faz mais sentido!
Como eu me esqueci disso? Como fazer um coração renascer? Como colorir de romance o preto e podre? Depilação no coração custa caro? Quero volta a ser romântica!


*Pauta Capricho: Você é romântica?*

segunda-feira, setembro 03, 2007

Sobre pensar positivo

"Pense positivo que tudo dará certo".

Mauro ouviu isso da boca de sua mãe antes de sair de casa para o jogo de basquete mais importante do ano.
Laura ouviu sua melhor amiga teorizando sobre sua possível gravidez.
Lenita se viu dizendo para sua prima sobre aquele amor, imposível até de ser platônico.
Denis disse para Carlinhos sobre a prova de inglês.

Mauro acertou todos os lances livres e levou o time a vitória.
Por mais que Laura pensasse, o bebê que o teste da farmácia acusava estar ali dentro não mudou de idéia quanto a existir.
Lenita ficou auto-confiante, mas o tal amor não lhe deu bola. Porém, na aula de reforço de inglês conheceu e se apaixonou por Carlinhos,que tinha ido mal na prova, e entre exercícios do "Present Perfect" se apaixonou pelos cachos de Lenita.

Qual é a lição da semana amiguinhos?

Estou pensando ainda.
Vê se cola: Acho que quando se diz respeito à falta de confiança, pensar positivo realmente pode ajudar.Você se sente mais consciente de si e dos seus movimentos e acreditando em você, faz os outros acreditarem também, exalando uma aura toda especial que faz as coisas acontecerem.
Agora, quando você resolve pensar positivo mais para, como mágica, remediar um erro anterior fruto de irresponsabilidade como o de não ter usado camisinha naquela transa, ou não ter estudado lhufas para a prova por que estava no msn, é bom não esperar grandes milagres.
As vezes eles vem, sim. As vezes, não.
Mas no final todas as coisas se ajeitam, seja do jeito que você desejava ou seja de maneira diferente.
Laura não sabe, mas irá se descobrir uma excelente mãe e não conseguirá imaginar sua vida sem Júlia, que será grande cientista.
Lenita e Carlinhos não tinham em mente exatamente o que lhes aconteceu, mas daqui 7 anos se casarão e mudarão para Londres, falando "Present Perfect" peeerfeito!

*Arrasei? Acho que não. CONFIANÇA Diandra!

Texto feito a pedido do Clayton.*