domingo, setembro 28, 2008

Stay Behind!

Quando a gente pensa que já viu de tudo, ou que a situação não pode ficar pior do que está: BANG!
Mais uma vez a vida nos surpreende, mostrando quããããão errados estávamos.
Não sei. A Vida deve ter uma auto-estima muito baixa, que precisa ser constantemente inflada por esses ataques de 'ó-como-sou-mais-poderosa-que-você'. Ou talvez ela sofra de TOC ou alguma outra desordem psicológica que produza a necessidade obsessiva de estar o tempo todo no controle, E MOSTRAR ISSO. Aliás, mostrar não... esfregar isso na nossa cara e para todo mundo ver.
Ok, ok, ok. Estou bancando a Drama Queen novamente.
Mas é que eu fico pu.&*$# com essas coisas.
Tudo isso foi pra dizer e anunciar aos ventos que estou tão desaparecida pois estou de licença-médica (rá), proibida de sentar (ráaáááááá!) e de andar (rárárárárááááááá!) e fazer qualquer coisa que não ficar deitada na cama há uma semana (ráráráááááááá!¹²³)

Antes que os engraçadinhos soltem (controlem-se Ana e P.) ou que vá parar nas colunas de fofoca: Não, a praga do professor de Comunicação Organizacional não pegou e eu não estou com hemorróida(s). É, eu super sei que seria mais engraçado para todos, mas não é a realidade.
Na verdade-verdadeira, acho que no momento em que ele soltou a praga eu dei uma abaixadinha na cadeira, e ela acertou mais para cima. Estou com um cisto inflamado Em Algum Lugar Chamado Nothing Hill. Mentira. Em algum lugar localizado ao final da minha coluna, e antes do começo da bunda. Tipo no cóccix. Então eu supostamente não deveria estar toda torta aqui escrevendo à vocês e sim em repouso absoluto. Mas além de eu achar que o Letrinhas merece uma satisfação pelo abandono, eu achei essa semana deitada-sem-tevê-no-quarto-e-com-poucos-capítulos-de-gossip-girl-e-nenhum-de-ugly-betty-e-mais-importante-ainda-sem-poder-sentar-na-cadeira-do-computador-ou-ir-trabalhar-ou-ir-para-a-faculdade muuuuuuito entediante.

O resumo da ópera é esse. Estou tomando anti -bióticos, -inflamatórios e analgésicos sem sentir nenhum efeito. E a dor só está presente enquanto meu coração bate e meu cérebro trabalha. Dói sentar, andar, deitar, respirar e rolar para os lados. E a cirurgia não tem data definida, por que essa birosca precisa diminuir e desinflamar, mas só o que sabe fazer é crescer e doer. rá.
Então para manter a imagem de rebelde e anarquista (na qual tenho certeza que apenas minha mãe acredita), eu estou aqui digitando tudo o que não podia.

Pronto.

Sobre aleatoriedades-nada-aleatórias:

- Welcome Ana.
- Welcome back Paty. ;)
- Tenho sonhado em inglês e com guerra civil-do-tipo-tráfico-terrorista, sendo que nos sonhos do último tipo eu fico pendurada em cordas em lugares fantásticos explodindo bombas penduradas por cordinhas e anéis dentro de garrafas de coca-cola, sob mesas de restaurante (mas não sei se é um restaurante), com dois executivos misteriosos amordaçados e amarrados e ao pé.
- Ai, que dor.
- Hoje-estou-com-uma-mania-irritiante-de-colocar-hífen-em-tudo.

1 palpites bem-vindos!:

Natália ~~ disse...

oaisoaioaiosi' nossa então melhoras pra ti mooça *-*, adorei o post adorei o layout adorei t-u-d-o !
beeijos beijos ;*